[Nossa Seleção] A primeira convocação do velho Dunga.

Vamos aos nomes e aos comentários.

GOLEIROS

Jefferson – Pra mim o titular. Acho um goleiro nível A+
Rafael Cabral – Viveu grandes momentos no Santos e agora voltou, depois de contusão. Merece ser observado.

ZAGUEIROS

David Luiz – Acho ótimo zagueiro. E o mercado da bola parece que também acha.
Marquinhos – Promissor. Deveria ter ido para Copa 2014 pra pegar experiência.
Gil – A regularidade é muito boa. Mas na volta do Thiago Silva, ele dança.
Miranda – Nunca fui muito fã, mas concordo que ele vive um momento especial na carreira.

LATERAIS

Maicon – Velho de guerra. Gosto bastante, apesar de saber que não tem mais aquela potência física de outros tempos.
Filipe Luis – Sinceramente, não acompanhei muito a carreira. Pelo pouco que vi, parece competente.
Alessandro – Se firmou no Porto e vem tendo uma boa regularidade. É bom jogador, mas longe de ser ótimo.
Danilo – Gosto bastante pela versatilidade.

MEIO-CAMPISTAS

Luis Gustavo – Acho que foi uma boa descoberta para nosso futebol. Firme na marcação e tem uma pulmão invejável.
Elias – Eu gosto. Mas tenho uma pulga atrás da orelha em relação a sua partipação pífia nos gramados europeus.
Fernandinho – É um bom volante, que pega bem de fora da área. Não tem bola para ser titular.
Ramires – Tem uma saída de bola rápida, mas oscila demais. Não consegue ter uma regularidade de atuações. Eu não levaria.
Everton Ribeiro – Apesar de ter aparecido como um lateral, hoje mostra uma grande capacidade criativa. Merecia uma chance desde 2013.
Oscar – A evolução tática dele me impressiona. Chega bem a frente e organiza bem o jogo. Mas sofre com a irregularidade.
Willian – Um meia que aprendeu a preencher espaços sem deixar de ser criativo.
Coutinho – Depois de ter saído muito cedo do Brasil e ficar penando pra explodir, me parece que engrenou. E engrenou bem pacas.

ATACANTES

Hulk – Eu nunca achei pertinente sua presença na seleção. Jogador que só tem força física.
Ricardo Goulart  – São duas boas temporadas. Forte e com um chegada forte na frente, para um meia de ligação.
Neymar – #neyRei #neyDeus #neyMito #neyAstro
Tardelli – Em 2013 eu tinha certeza da sua presença. Hoje, já não sei. Talvez mereça ser observado pelo que já mostrou na carreira.

Ahhhh o Maraca…

Na reabertura do Maracanã, o maior de todos, nada mais justo que o primeiro gol saia dos pés do novo Rei do Rio. Fred merecia muito esse gol e o Brasil precisava ter saído na frente mesmo, pra premiar o ótimo primeiro tempo do nosso time.

Tivemos um primeiro tempo de Seleção. Marcando forte, atacando, não dando espaço para os chatos ingleses. Esse é o futebol que temos que jogar. Fomos tão bem que, em certo momento do jogo, tínhamos chutado 15 vezes ao gol e eles, nenhuma. Muito bom, mesmo.

Oscar, Neymar e nossa dupla de zagueiros, Thiago Silva e David Luis, foram bem acima da média.

No segundo tempo, como de costume, caímos de produção e a irritante Inglaterra virou o jogo, com direito a golaço de Rooney. O time só voltou a tomar as rédias da partida quando Felipão botou um tridente de ótimos volantes: Fernando, Hernanes e Paulinho. Nosso meio campo tomou conta do jogo e ainda aproveitou a excelente qualidade de ataque dos dois últimos. E chegamos ao empate com umas daquelas ótimas e conhecidas chegadas de Paulinho à grande área de ataque. Golaço!

No fim das contas o empate foi um bom resultado pela oscilação que tivemos, principalmente nos primeiros 25 minutos do segundo tempo.

Acredito que ficou clara a necessidade do tridente de volantes nesse time, para deixar o trio de frente bem solto e aproveitar as subidas dos nosso talentosos laterias.

Vamos pra cima BRASIL!!!!
Aha Uhu, o Maraca é nosso!
Aha Uhu, o Maraca é nosso!

É isso aí!

Abs!

PS.: meu time ideal pra estréia na Copa das Confederações:

selecao_estreia

Nossa nova Seleção

Volto a postar e é claro que o assunto é o meu preferido: Seleção Brasileira.
E acho necessário um post que talvez fique um pouco longo. Perdoem-me.

Primeiro vou falar da Seleção como um todo. Sobre o início do trabalho de Felipão e sobre as minhas expectativas para o futuro.

Scolari deu a sequência prometida ao trabalho de Mano Menezes. Trouxe os mesmo jogadores e iniciou o jogo de hoje com uma formação adotada pelo antigo técnico. Deixando volantes leves e um ataque de chegada. Esse sistema mostrou que precisa de muito entrosamento para funcionar. Ainda mais tendo em um dos lateriais (Daniel Alves) uma grande opção de chagada ao ataque.

Acredito que Felipão, no próximo jogo contra a Itália, irá mudar esse posicionamento. Mas também não acho que ele vá descartar os ótimos Ramires e Paulinho. A chegada de Ralf como cabeça de área ou a tentativa de usar Thiago Silva, David Luiz e Dante em uma linha de três zagueiros, sendo que David sai mais como primeiro volante, podem ser as opção mais inteligentes para esse momento.

Falando em Dante e usando as palavras de Felipão: “Acho que ganhamos um zagueiro que ninguém esperava.”. Achei calmo, tranquilo, bem posicionado e com um alto nível de categoria.

No ataque, acho que Fred deve ter ganhado, momentaneamente, o lugar ocupado a principio por Luis Fabiano. E no gol, parece que Julio César mostrou a que veio e ganhou a posição em definitivo.

Gostei do todo, mesmo com a derrota, mas ficou claro que temos problemas sérios.

E o mais sério deles é o segundo tópico que queria falar.

PRECISAMOS FAZER NEYMAR BRILHAR!

Isso é um fato incontestável. Ele sendo o melhor dos jogadores dessa geração, e acho que não temos dúvida disso, precisamos que ele se transforme no protagonista que é no Santos. Mesmo ele jogando contra defensores BEM melhores que os defensores de Linense e Penapolense.

E tenho uma opinião formada sobre como fazer Neymar brilhar, baseado em fatos históricos no futebol.

Me aproveitando novamente de uma frase célebre de um grande técnico: “Nós vamos vencer, mas para isso, vocês tem que correr muito para Ronaldo dar show”. Essa é uma frase de Frank Rijkaard, ex-técnico da máquina do Barcelona entre 2003 e 2008.

Parreira e Zagallo também usaram da mesma técnica para conquistar o tetra, tendo Romário como o grande protagonista. O próprio Felipão usou isso em 2002, para Rivaldo e Ronaldo brilharem na Copa. Isso porque não citei o que acontece no Barcelona das últimas 4 temporadas, com Messi sendo o grande astro.

Se temos um jogador fora de série, no caso Neymar, temos que montar um time que jogue pra ele. Ele não pode ter responsabilidade tática alguma. Tem que jogar solto, livre, tem que se divertir. É assim que Neymar vai se sentir à vontade para fazer o que faz com a camisa do Santos. Diferente disso, sempre vamos ficar frustrados por não ver o menino da Vila brilhar intensamente com a Amarelinha.

É isso aí!

Abs!

Ganso mercenário? Que bobagem

Não consigo entender essa cultura do futebol que cobra que jogadores sejam eternos nos clubes de origem. Ainda mais nos dias de hoje em que o futebol é uma profissão, não só uma paixão para quem pratica.

Essa novela que envolveu a transferência de Paulo Henrique Ganso para o São Paulo teve como desfecho mais triste os muros do CT Rei Pelé, do Santos, pixados exatamente no local onde havia uma bela homenagem para Ganso. Os muros do CT, para quem não sabe, são todos desenhados com ilustrações que representam os principais jogadores que ganharam títulos e fizeram história com a camisa do alvinegro praiano.

Isso é triste. Chega a ser patético.

Paulo Henrique é um profissional da bola. E como todo profissional tem total direito de mudar de empresa e/ou escolher um novo destino, seja essa escolha por oportunidade de crescimento ou financeira. É estupidez tratar isso como traição.

Temos vários exemplos no futebol mundial de jogadores que atuaram em rivais.
Vamos a alguns exemplos:

Neto – São Paulo > Palmeiras >  Corinthians >  Santos >  Corinthians
Renato Gaúcho – Flamengo > Botafogo > Flamengo > Fluminense > Flamengo
César Sampaio – Santos > Pameiras > Corinthians > São Paulo
Romário – Vasco > Flamengo > Fluminense > Vasco
Edmundo – Vasco > Palmeiras > Flamengo > Corinthians > Vasco > Santos > Palmeiras > Vasco
Serginho Chulapa – São Paulo > Santos > Corinthians > Santos
Dejan Petković – Flamengo > Vasco > Fluminense > Flamengo

Sem falar em Di Stéfano, que jogou por 3 seleções diferentes: Argentina, Colômbia e Espanha (antigamente era permitido jogar por seleções de diferentes países).

Eu acho tudo isso uma tremenda bobagem.
O certo é o torcedor apaixonado agradecer ao craque pelos ótimos serviços prestados e cobrar a diretoria do clube por não ter feito um plano de carreira suficientemente bom para o atleta continuar a vestir a camisa do time.

————————
INFORME
————————
O blog ficará por 12 dias sem posts.
O motivo: férias merecidas e muito esperadas do opinador que aqui escreve quase que diariamente.
Nos vemos dia 08/10/2012
————————

É isso aí!

Abs!

Palmeiras: pra fugir ou se prepara para a Série B?

Palmeiras no desespero de causa, depois de ter sido rejeitado por alguns técnicos, acertou com Gilson Kleina, que era atual técnico da Ponte Preta.

É um técnico da nova geração e, sinceramente, não sei se era isso que o Palmeira precisava nesse momento. Acho que seria mais interessante manter Narciso e montar uma comissão de incentivo para acompanhar a delegação em todos os jogos. Comissão essa responsável pelas palestras pré-jogo, formada por ídolos que brilharam no Verdão: Evair, Marcos, Paulo Nunes, Edmundo, Ademir, etc. Mais inteligente, barato e com chances reais de surtir efeito positivo.

Agora cabe à torcida apoiar Kleina e seus comandados nessas próximas rodadas do Brasileirão. O que o time precisa é de apoio total de uma torcida que historicamente é muito crítica, mas que na Copa do Brasil mostrou que tem força para levar o time adiante. Prova disso é o show que deram em Porto Alegre no jogo contra o Grêmio, pela semifinal.

O maior desafio de Gilson, na minha opinião, é elevar a autoestima dos jogadores que está lá embaixo. Em condições psiciológicas normais, Valdívia não teria perdido aquele gol de cabeça contra o Corinthians. A pressão por fazer o certo é tão grande que os jogadores só conseguem fazer errado.

Minha única dúvida é: a diretoria trouxe Gilson Kleina para ser o salvador da pátria ou para já preparar o grupo para a disputa da Série B? Será que esses incoerentes e incopetentes diretores ainda mantém a esperança no time? Sei não.

É isso aí.

Abs!